contato@griots.com.br | 19. 3232-5018

Junho/2015 Liliene Santana

A Conquista do Jaleco Amarelinho

Para tornar-se um (a) voluntário (a) dos Griots: Os contadores de histórias são necessário passar por três fases: Avaliação do perfil, treinamento com palestras e avaliação individual. Treze candidatos conquistaram o tão sonhado jaleco amarelinho, na formatura oficial dos Griots no dia 27 de junho, no campus da Universidade Presbiteriana Mackenzie em Campinas.




Todo o ano é realizado o procedimento de novos candidatos para trabalharem como voluntário na ONG. Após realizar sua inscrição, ele é chamado para um bate papo com o psicóloga Aurora Demkoff para uma prévia avaliação emocional.


O treinamento é realizado em dois dias com palestras que abordam os seguintes assuntos: quais cuidados os voluntários devem ter dentro do hospital, aula ministrada pela Profissional de infectologia Solange Martins Viana da UNICAMP. E sobre as normas e regras dos Griots, quem somos e porquê, ministrado pela fundadora da ONG Cleonice Camarero.


Os palestrantes são diretores e voluntários veteranos, que além de compartilhar técnicas de leitura, contam experiências vividas nos hospitais e de como lidar com o comportamento imprevisível das crianças. Essa é uma etapa importantíssima para a associação e fundamental para todos que querem ser um dos anjos amarelinhos.


Depois do treinamento, os candidatos são levados para fazer o “estágio”, visitando as crianças hospitalizadas acompanhada de um “padrinho ou madrinha”, que tem o intuito de orientá-lo das normas e procedimentos para poder entrar em cada ala pediátrica.


Após essa vivência, uma semana antes da formatura, há uma reunião de avaliação junto a diretoria com participação dos candidatos e responsáveis pelo estagio.  Cujo objetivo é relatar sobre essa experiência e confirmar a disponibilidade do candidato e aprovação do acompanhante Griots. Desta forma o candidato passa a ser o novo anjo amarelinho. E na formatura se torna oficialmente um voluntário Griots, recebendo o jaleco amarelo e o crachá de identificação.


Formando novos Griots


O formando Tiago Marques, morador do município de Valinhos escolheu atuar no Centro Infantil Boldrini, em Campinas. Mesmo com a distância de 27 km do Hospital, diz estar motivado “Sei que tem crianças lá me esperando, e que eu preciso me esforçar para ir. Eu gosto é do contato com as pessoas”, diz.


A nova atuante dos Griots Jaqueline Souza, escolheu o Hospital e Maternidade Mário Covas, de Hortolândia, para contar suas histórias. Ela já procurava outros lugares para fazer atividade voluntária, e um companheiro de trabalho a apresentou aos Griots. “Quando entregava roupas em abrigos no Natal, gostei da sensação de ajudar. Por isso, procurei ser uma voluntária de novo. Me identifiquei com a ONG e estou muito feliz”, afirma. Para ela, o treinamento foi de grande ajuda, já que nunca tinha lidado com contações de histórias nem com crianças em hospitais.